O polêmico - Jota Luiz – POLÍTICA / ESPORTES / SAÚDE / POLÍCIA e VARIEDADES

Bolsonaro libera R$ 20 milhões para combate à Covid-19 no MA; veja quanto cada cidade receberá

A Comissão Intergestores Bipartite do Maranhão definiu na quarta-feira (25) a divisão de R$ 20,1 milhões garantidos pelo governo Jair Bolsonaro para o combate ao novo coronavírus no estado.

O valor soma-se aos R$ 14 milhões que já haviam sido disponibilizados no início do mês (saiba mais).

Segundo os critérios aprovados durante o encontro, e já registrados em ata, serão R$ 4 milhões para a Secretária de Estado da Saúde (SES) – R$ 2 milhões dos quais devem ser utilizados para a compra de máscaras, álcool gel e outros Equipamentos de Protecao Individual (EPIs), a serem distribuidos pela Famem às prefeituras – e R$ 16 milhões para as gestões municipais.

São Luís é a cidade que mais receberá recursos: serão R$ 2,5 milhões. Os valores foram divididos de acordo com critérios populacionais.

Baixe a lista aqui.

Isolamento por conta do coronavírus pode provocar estresse e ansiedade nas pessoas, dizem especialistas

A necessidade de isolamento para conter a disseminação do novo coronavírus pode provocar estresse e ansiedade nas pessoas. Pensando nisso, psicólogos do Maranhão estão oferecendo de forma gratuita um acolhimento online. Para que as pessoas possam lidar com tantas emoções, uma psicóloga de São Luís teve a ideia de reunir profissionais que estão dispostos a oferecer uma “palavra amiga” via aplicativo de mensagem.

A psicóloga Venúzia Milhomem, que reside em Imperatriz, a 626 km da capital, faz parte do grupo e diz que a necessidade bons pensamentos no momento em que o mundo atravessa uma pandemia colabora para dispersar um possível desequilíbrio emocional.

“Nesse momento a saúde mental ela é muito importante na medida em que nós estamos nesse momento de pandemia em que começa um estresse coletivo, em que as pessoas começam a se desequilibrar emocionalmente é importante ter esse suporte. Primeiro que a gente precisa considerar que nós nos afastamos do nosso lazer, do nosso contato social, dos nossos trabalhos e as pessoas ficam solitárias e ainda com o fantasma da pandemia crescendo mais. Então, esse suporte é importante para que as pessoas possam passar esse momento com um pouco mais de tranquilidade. Claro que uma pessoa ansiosa ela não fica ansiosa porque ela quer, mas existem algumas dicas muito importantes como você se desligar um pouco dos noticiários e fazer a sua parte da prevenção. Porque se você fica ligado 24 horas você fica numa paranoia coletiva”, explicou Venúzia Milhomem.

A ideia do projeto é oferecer apoio emocional utilizando o aparelho celular, uma ferramenta que está no dia a dia das pessoas. Mais de 46 psicólogos de todo o Maranhão fazem esse trabalho de forma voluntária. O atendimento é diferente de uma sessão de psicoterapia, pois não tem continuidade. É possível buscar o serviço mais de uma vez, mas a cada atendimento será designado um profissional diferente. Os horários dependem da disponibilidade e a agenda de cada psicólogo. São conversas por áudio ou escritas e sem contato visual.

A psicóloga Venúzia ressalta que a possibilidade do paciente não ser visto pelo profissional ajuda para que ele possa se sentir mais à vontade para falar sobre os questionamentos emocionais. “Na medida em que a pessoa não se sente que ela não está sendo vista por alguém, que ela nunca viu, ela tem condições de se abrir mais, de falar mais de suas angústias, de seus medos, de suas paranoias de uma maneira mais espontânea sem essa preocupação com o julgamento”.

De acordo com a especialista, os pacientes relatam sobre tudo. O medo, saudade, ansiedade. Até pessoas de outros estados estão procurando o serviço de apoio. “É um trabalho que tem sido muito rico para nós, para os profissionais essa experiência. Adolescentes procuram, pessoas idosas, pessoas de diversas idades, adultos que não são idosos, pessoas de outros estados”, finalizou.

Os números de telefones estão disponíveis na rede social da Associação Brasileira de Saúde Mental do Maranhão (ABRASME). A internet também tem sido aliada na medicina. Durante a quarentena, para evitar a ida aos hospitais alguns médicos estão utilizando o perfil nas redes sociais para tirar dúvidas de pacientes.

Governo prepara novos leitos de UTI para casos graves de Covid-19

A unidade, com capacidade para até 80 leitos de UTI, já conta com 30 prontos para uso e deve receber mais de mil profissionais de saúde.

Número de novos casos de Covid-19 sobe 40% no Maranhão

(Foto: NIAID)

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) relatou na noite de ontem (26) um aumento de 40% no número de novos casos de infecção por novo coronavírus (Covid-19) no Maranhão.

A quinta-feira terminou com 14 casos confirmados – eram 10 na quarta-feira.

No Twitter, o governador Flávio Dino (PCdoB) disse que, apesar de todas as medidas preventivas adotadas, a tendência é que cresçam mais os casos de pessoas infectadas.

“Tendência continua a ser de elevação de casos, apesar de todas as medidas preventivas que adotamos”, disse.

Governo define lotéricas e igrejas como atividades essenciais

Agência Brasil 

O presidente Jair Bolsonaro definiu outras atividades e serviços essenciais que devem funcionar durante a emergência de saúde pública decorrente do novo coronavírus, mesmo com a adoção de medidas de isolamento e de quarentena pelas autoridades. Entre eles estão as unidades lotéricas e as atividades religiosas de qualquer natureza.

O Decreto nº 10.292/2020 com a ampliação da lista foi publicado hoje (26) no Diário Oficial da União. A primeira lista foi definida pelo Decreto nº 10.282/2020, na semana passada. Pelo texto, são serviços e atividades essenciais aqueles indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade, assim considerados aqueles que, se não atendidos, colocam em perigo a sobrevivência, a saúde ou a segurança da população.

Além de lotéricas e igrejas, o governo incluiu nessa categoria a fiscalização do trabalho, atividades de pesquisa relacionadas com a pandemia de covid-19 e as atividades jurídicas exercidas pelas advocacias públicas, relacionadas à prestação regular e tempestiva dos serviços públicos.

O Brasil já registrou 57 mortes e 2.433 casos da doença provocada pelo novo coronavírus.

Em publicação no Twitter, Bolsonaro destacou que, no Brasil, existem 12.956 casas lotéricas e 2.463 se encontram fechadas por decretos estaduais ou municipais. “Para que possam funcionar em sua plenitude, atualizei, nessa data, o Decreto 10.282”, escreveu.

Ministério autoriza cloroquina para casos graves de covid-19

Fonte: R7 Notícias 

O Ministério da Saúde oficializou, nesta quarta-feira (25), um posicionamento autorizando que médicos usem a cloroquina/hidroxicloroquina para tratar pacientes internados em estado grave com covid-19.

No entanto, não há qualquer indicação do medicamento para pessoas que queiram se proteger ou para casos leves da doença.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, alertou hoje para os riscos de efeitos colaterais graves provocados pela droga, um imunomodulador receitado para casos de malária e para algumas doenças autoimunes, como o lúpus.

Em uma apresentação à imprensa, o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos da pasta,

Denizar Vianna, frisou que o medicamento pode ser usado com outras medidas de suporte ao paciente pelo período de cinco dias.

Segundo ele, trata-se de “um medicamento muito promissor” e que “o Brasil conhece muito”, por fazer uso na região Norte em pessoas com malária.

Os casos graves são, em média, 14% dos infectados por coronavírus, sendo que 5% são considerados críticos.

Na semana passada, após o presidente dos Estados Unidos falar que o país aprovou o uso da substância no tratamento de alguns casos de covid-19, houve uma corrida às farmácias no Brasil, o que deixou algumas delas sem estoque.

Posteriormente, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu a venda do remédio sem prescrição médica, para evitar a automedicação e também que pacientes que precisam da hidroxicloroquina fiquem desabastecidos.

Coronavírus pode custar R$ 410 bilhões extras ao SUS, estima Ministério da Saúde

Por Estadão

Projeção está em documento, obtido pelo ‘Estado’, enviado pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ao ministro da Economia, Paulo Guedes

  O presidente Jair Bolsonaro incluiu igrejas e agências lotéricas na lista de serviços e atividades essenciais que podem funcionar durante a situação de emergência no País em decorrência do novo coronavírus. A decisão, tomada por meio de decreto – que não depende de aval do Congresso -, abre brechas nas restrições impostas por governadores e prefeitos para reduzir a circulação de pessoas e evitar a propagação da doença.

Em uma mudança de orientação do governo, Bolsonaro tem criticado medidas adotada na maior parte do País para conter o avanço da covid-19. Na terça-feira, em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão, o presidente afirmou que “algumas poucas autoridades, estaduais e municipais, devem abandonar o conceito de terra arrasada”, em medidas como a “proibição de transportes”, o “fechamento do comércio” e o “confinamento em massa” – adotadas em diversos países para evitar a propagação do vírus e o colapso do sistema de saúde. O argumento é de que os efeitos na economia resultarão em milhões de desempregados.  O fim do isolamento, no entanto, contraria recomendações médicas e vai de encontro ao que o próprio Ministério da Saúde defendia até esta quarta-feira.

Bolsonaro já havia anunciado na quarta-feira, pelas redes sociais, que incluiria as lotéricas na lista de serviços autorizados a funcionar. Segundo ele, 2.463 dos 12.956 estabelecimentos no País estão fechados por decisões estaduais ou municipais. Também nesta quarta, ao ouvir a reclamação sobre o fechamento do comércio de um apoiador que se identificou como empresário, o presidente disse que havia conseguido resolver a questão das lotéricas numa “canetada”. “Hoje, por decreto, eu resolvi as lotéricas. Três mil lotéricas fechadas por prefeitos e governadores. Eu consegui resolver numa canetada. Estamos fazendo isso”, afirmou Bolsonaro, em frente ao Palácio da Alvorada.

Em relação às igrejas, o decreto afirma que seu funcionamento deve seguir as recomendações do Ministérios da Saúde. Os templos vinham limitando suas atividades presenciais para evitar aglomerações e se valendo das tecnologias virtuais para fazer cultos e missas e assim diminuir os riscos de propagação do vírus. Com a decisão de Bolsonaro, elas ficam liberadas da quarentena. Em alguns locais, como São Paulo e Santa Catarina, igrejas foram à Justiça para garantir a realização de cultos.

O decreto, porém, faz a ressalva de que as atividades religiosas devem seguir as orientações do Ministério de Saúde, que tem sido de evitar aglomerações e manter distanciamento social.

O fechamento dos templos também tem sido alvo de críticas do presidente. “O que eu vejo no Brasil, não são todos, mas muita gente, para dar uma satisfação para o seu eleitorado, toma providências absurdas… fechando shoppings, tem gente que quer fechar igreja, o último refúgio das pessoas”, disse Bolsonaro em entrevista ao Programa do Ratinho, do SBT, exibida na noite de sexta-feira. “Lógico que o pastor vai saber conduzir o seu culto, ele vai ter consciência, pastor ou padre, se a igreja está muito cheia, falar alguma coisa. Ele vai decidir, até porque a garantia de culto, a proteção ao ambiente de culto, é garantida pela Constituição. Não pode o prefeito e o governador achar que não vai mais ter culto, não vai ter mais missa”, acrescentou.

Coronavírus mata 18.440 em todo o mundo, diz OMS

Agência Brasil

O número de pessoas infectadas com o novo coronavírus ultrapassou 400 mil em todo o mundo, com a maior quantidade de mortes na Europa.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até a última quarta-feira (25) , o total de infecções havia aumentado em 40.712 em relação ao dia anterior, atingindo 414.179 em 199 países e territórios.

Já o total de mortes teve um crescimento de 2.202, chegando a 18.440.

A Itália registrou a maior quantidade de mortes. O número do governo – 7.503 – é quase o dobro da China.

Líderes de governos locais na Itália têm utilizado a internet para exortar moradores a permanecerem em casa, porque muitas pessoas estão ignorando o confinamento vigente em todo o país, o que agrava a situação.

*Emissora pública de televisão do Japão