O polêmico - Jota Luiz – POLÍTICA / ESPORTES / SAÚDE / POLÍCIA e VARIEDADES

DINHEIRO NA CONTA: Prefeitura de Santa Filomena do Maranhão efetua pagamento de servidores

A prefeitura de Santa Filomena do Maranhão, administrada pelo prefeito Idan Torres(PDT), efetuou, ontem sexta-feira (30), o pagamento dos salários dos servidores públicos [efetivos] do município, referente ao mês de agosto. PAGOOOOO

Resultado de imagem para fotos dinheiro na conta

O pagamento em dia do funcionalismo público faz parte da política de valorização da categoria desenvolvida pelo prefeito Idan. Mesmo diante de um quadro extremamente negativo, ocasionado pela queda constante de recursos financeiros oriundos das transferências constitucionais, as mudanças aconteceram. “Valorizar o servidor significa investir em uma melhor prestação de serviço para os filomenenses. Vamos seguir desta forma, implementando melhorias salariais e executando obras em todos os setores da administração. Santa Filomena do Maranhão continuará trilhando o caminho certo do desenvolvimento”, disse o prefeito.

Leonardo do Posto coloca seu nome a disposição da população de Alto Alegre do Maranhão, e arrasta multidão em sua residência

Na noite de ontem quinta feira (29), Leonardo do Posto conseguiu reunir centenas de amigos e amigas em sua residência para informar que seu nome está a disposição da população de Alto Alegre do Maranhão.

Na oportunidade Leonardo do Posto conseguiu reunir várias lideranças politicas como; Priscila Louro irmã do deputado estadual Vinícios Louro de Pedreiras-MA, ex vereadora Célia Cruz, Silmar presidente do sindicato da Construção Civil, vereador Cahyo Fabrício e vereador Agnaldo de São Mateus do Maranhão.

Leonardo do Posto foi candidato a vice-prefeito em 2016, na chapa do ex prefeito Liorne,  e perderam  a disputa por atual prefeito Maninho. Agora Leonardo resolveu chamar seus amigos e amigas em sua residência pra informar que seu nome está a disposição do povo de Alto Alegre do Maranhão.

Sinal vermelho de Arleta ligado na oposição em Alto Alegre do Maranhão. 

Permanece desaparecido bancário que está afastado do BB de Bacabal por causa de depressão

O bancário Antônio Gomes de Souza Júnior trabalha na agência do Banco do Brasil, na cidade de Bacabal, tem vários anos. Com sintomas depressivos, síndrome do pânico e ansiedade, após exames médicos, foi afastado do local de trabalho por 45 dias, e veio para São Luis entregar documentos.

Ele precisou viajar para a capital São Luis e confirmar com documentos os exames junto ao seu plano de Saúde, Cassi, sobre seu estado de saúde. Então, na última quarta-feira, dia 21, pegou um ônibus da Guanabara, no mesmo coletivo em que estava uma prima. A família confiou que nada acontecia em razão de Júnior sempre viajar sozinho quando vinha para tratamento.

Ele ainda manteve contatos com a família na última sexta-feira, dia 23, e demonstrou estar abatido e triste. E de lá para cá nunca mais nenhuma notícia do bancário. Preocupados, familiares registraram um Boletim de Ocorrência numa delegacia em São Luís e aguardam informações do bancário.

Quem souber do paradeiro de Antônio Gomes de Souza Júnior favor entrar em contatos no telefone (99) 98413-8802 ou no (99) 8269-1421.

Ajude uma família a sair do desespero!

Ex-vereador Vasco Rodrigues retorna ao grupo do prefeito Idan Torres em Santa Filomena

O ex-vereador Vasco Rodrigues garantiu o seu retorno ao grupo do prefeito Idan Torres. Apos ajudar  a eleger em 2016, o Idan,  prefeito de Santa Filomena, Vasco foi nomeado secretário municipal de agricultura. Porém por divergência nas eleições de deputado em 2018, o ex-vereador saiu da pasta da agricultura e passou a fazer oposição.

Após varias conversas, Vasco Rodrigues resolveu declarar apoio ao prefeito Idan Torres, que vem fazendo uma boa gestão, e voltar ao seu grupo de origem.

Promotoria denuncia ex-prefeita de Bom Jardim

Desvio de dinheiro público, associação criminosa e fraude em licitação levaram a Promotoria de Justiça da Comarca de Bom Jardim a oferecer denúncia, em 14 de agosto, contra os ex-prefeitos Malrinete dos Santos Matos, conhecida como Malrinete Gralhada, e Manoel da Conceição Ferreira Filho, conhecido como Sinego. O sócio-administrador da empresa Gráfica Color Eireli, Juceny de Castro Moura, também foi denunciado.

Na Denúncia, ajuizada pelo promotor de justiça Fábio Santos de Oliveira, o Ministério Público do Maranhão requereu que os denunciados sejam condenados à indenização de valor mínimo R$ 291.281,90 aos cofres públicos.

ENTENDA O CASO

Consta nos autos que, no dia 13 de junho de 2016, a prefeita de Bom Jardim na época, Malrinete Gralhada, celebrou um contrato de R$ 776.816,79 com a empresa Gráfica Color Eireli para a prestação de serviços gráficos, até o dia 31 de dezembro de 2016. Porém, segundo depoimentos de testemunhas, a empresa nunca forneceu nenhum produto ou serviço ao Município.

Em outubro de 2016, Malrinete Gralhada foi afastada e o então vice-presidente da Câmara Municipal, Sinego, assumiu o cargo, onde ficou até o fim de 2016.

Ouvido na Promotoria, o gestor municipal informou que, assim que tomou posse, emitiu um decreto suspendendo todos os pagamentos de licitações feitas no período em que Malrinete era prefeita. Segundo Sinego, essa auditoria o autorizou a realizar pagamentos à empresa Gráfica Color.

Em um parecer emitido pela Secretária de Estado da Fazenda do Maranhão (Sefaz), o órgão ministerial constatou que, entre janeiro de 2015 e 31 de dezembro de 2016, a empresa Gráfica Color não emitiu nenhuma nota fiscal de saída de mercadorias, nem houve movimentação de vendas. Além disso, nas notas de entrada de produtos, não consta entrada dos produtos que, em tese, foram adquiridos pelo Município de Bom Jardim.

Apesar de a empresa não ter fornecido os bens contratados, Malrinete Gralhada realizou dois pagamentos no total de R$ 35.015,00 em julho de 2016. Sinego fez oito pagamentos que somados chegam a R$ 256.266,80, em dezembro de 2016. O total desviado pela associação criminosa foi de R$ 291.281,90.

“Não havia previsão legal para o gasto desse valor com a contratação dessa empresa. O próprio processo licitatório foi realizado de forma fraudulenta. A ré Malrinete contemplou a empresa Gráfica Color como vencedora da licitação por conhecer e ter amizade com seu proprietário, o réu Juceny”, afirmou o promotor Fábio Santos de Oliveira.

CRIMES

O MPMA requereu a condenação dos envolvidos pelos crimes previstos pela Lei nº 9.613/98 (lavagem de dinheiro), Decreto-Lei nº 201/67 (crimes de responsabilidade dos prefeitos), Lei nº 8.666/93 (crimes referentes a licitações e contratos), além dos crimes previstos no Código Penal: associação criminosa, corrupção ativa e passiva, e subtração ou inutilização de livro ou documento.